J. R. R. Tolkien e J. K. Rowling

 

Descobri o Senhor dos Anéis pelo filme. Depois do primeiro fui ler os livros e me apaixonei. O Tolkien escreve de uma forma única, e a complexidade do universo que ele criou é surreal. Segui lendo O Silmarillion, Os Filhos de Húrin, O Hobbit e todos os demais livros dele. Que viagem. Adoro esse mundo fantástico, medieval, sempre gostei.

Vim a saber que ele era mais interessado em línguas. Primeiro criou uma, o élfico, e ai precisava de um povo para usá-la, e iniciou a criação de todo um universo, com eras, histórias, reis e rainhas, árvores genealógicas, mitologia, botânica e tudo o mais. Creio que ele me inspira da mesma forma que a Joanne Rowling, que criou simplesmente meu livro de ficção favorito (para trouxas). De forma mais indireta eles ensinam e inspiram a coragem, o fazer o certo e muito mais, por meio do exemplo dos personagens.

Sempre tive uma relação interessante com a minha imaginação, e acho que pessoas como o Tolkien e a Joanne Rowling me inspiram a valorizar isso, a ver que há um anseio por boas histórias, valor em mundos imaginários e mesmo uma necessidade deles.

Harry Potter tem um lugar especial pra mim, até porque cresci lendo ele. Comecei com 13 anos, junto com o Harry, e até o último ser lançado lembro que a qualquer momento ou eu estava lendo um livro da saga ou esperando que o próximo fosse lançado. Quando terminei o último fiquei assim, órfão de uma história, mas ai fui descobrindo outras depois. Muitas excepcionais, mas admito que nenhuma ainda tão boa quanto.

Com o Tolkien foi diferente, pois todos os seus livros já existiam quando comecei. Então não tinha a ansiedade de esperar um lançamento, mas ainda assim foram momentos deliciosos com cada um deles.

Foto de Escrevinhanças.
Foto de Escrevinhanças.