Fluxo Criativo

creative_flow_by_qetza-d5e5sp0

Não dá pra esgotar criatividade. Quanto mais se usa, mais se tem.

Uma vez no colégio eu pensei num comentário, uma zoação com um amigo, que achei que seria bem engraçada, então não quis falar assim que me veio a mente. Achei muito boa e resolvi esperar um momento mais oportuno. O que aconteceu foi que não só quando eu falei ela não teve o impacto que eu esperava, como também ao longo desse período eu fiquei completamente desconectado do meu fluxo natural de ideias. Parece que eu me apeguei a uma, não soltei na hora certa e isso me fez perder um monte de outras, pois estava com as mãos ocupadas com aquela.

Depois adotei uma postura completamente oposta, não só com piadas, mas com tudo. Fazer o melhor, usar a melhor ideia, mesmo que ela pareça boa demais pro momento. Usar o que temos quando temos, e confiar que ou depois teremos outras, ou ok, pelo menos não há dor de cotovelo, não fiquei guardando e nunca usei.

Sempre me incomodei com esse tipo de desperdício. Pessoas que guardam coisas boas esperando o momento certo e nunca usam. Aquela camisa que é tão maneira, tão especial que no final nenhum evento é bom o suficiente, e depois você vê que nunca a usou, ou quase nunca. E já aquela outra, mais ferrada, tem um milhão de fotos com ela, pois usou nas caminhadas, na viagem com os amigos e no final ela tem história, ela foi usada, cumpriu seu propósito. Acaba que é dela que você gosta, é dela que você lembra.

O mesmo acontece com ideias, com a sua entrega a cada momento. Quando fazemos o nosso melhor é que nem num treino de musculação. Se dermos o nosso máximo, saímos esgotados da academia, mas depois de um tempo voltamos e não apenas conseguimos repetir a série de antes, mas podemos aguentar ainda mais, pois estamos mais fortes. Muita gente segura ideias, com medo de usar tudo e ficar sem. É meio que nem malhar, as vezes assim que usamos ficamos mesmo sem nenhuma, mas logo logo você se recupera, e não apenas volta a ter ideias tão boas quanto as que estava guardando, mas melhores.

Esse fluxo é o segredo. Ele pede confiança em si mesmo, superar o medo, ou agir com o medo mesmo. Pessoalmente posso dizer que nunca me arrependi de ter tido esse tipo de entrega, de ter feito mais que a situação pedia. Uma vez ou outra não deu em nada, mas mais do que eu posso contar houveram consequências que eu nunca teria previsto, superando em muito minhas expectativas. É necessário também aceitar a possibilidade do erro, pois quando se opta por seguir o fluxo você inevitavelmente vai brincar no limite da zona de conforto, com alguma frequência do lado de lá – e fatalmente o erro vai acontecer.

É como tentar fazer um rap, falar rimando o tempo todo. Logo você se vê começando uma frase e não sabendo se vai conseguir pensar numa rima a tempo. As vezes não conseguimos, e se isso for impactante demais, vai travar o fluxo, vai virar um bloqueio. Mas se você apenas ri do que saiu e segue com a brincadeira, vai se surpreender com a criatividade que tem.

Óbvio que sempre melhoramos com a prática, mas o fato é que dar vazão aos seus desejos, seus interesses e suas curiosidades sempre vale a pena.

É fácil quando esse desejo interno está alinhado com expectativas externas. Quando o que quero é ser médico, todo mundo vai me apoiar a estudar muito, e passar pra uma boa faculdade e etc. O caminho a ser seguido é árduo e longo, mas há um feedback positivo da sociedade, dos familiares e amigos no formato de apoio, aceitação, mesmo admiração. Já quando é algo incomum ou mal visto, há toda uma dificuldade a mais. Você tem que lutar contra a dúvida de todo o mundo, como se não bastassem as próprias. Você tem que ser confiante por você e pelos outros.

Quanto maiores as barreiras externas, maior tem que ser a força interna. E como um músculo, isso se exercita. Comece se ouvindo, criando espaço pra si mesmo. Entenda e reconheça seus desejos, suas emoções, seus sentimentos, medos, sonhos, áreas de interesse. Você tem que ser o seu maior aliado, afinal, está consigo mesmo o tempo todo. Acho o termo auto-sabotagem interessantíssimo, e importante de se estudar. Quando nos sabotamos, que loucura que fazemos. Literalmente, pois é como se houvessem 2 ou mais “eus” competindo dentro de mim. Um quer uma coisa, outro quer outra. Pra isso o se ouvir, a meditação e reflexão, pra todos esses “eus” estarem alinhados, pra você ser um só, estar inteiro no momento.

Disseram ao Walt Disney que seus desenhos estavam sendo copiados. Ele disse: “Podem deixar. Consigo criar mais rapido do que eles conseguem copiar.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s