O bom é inimigo do ótimo.

Certo dia estava desenhando no colégio, um amigo ficou observando e comentou como eu era perfeccionista. Achei legal, realmente eu ficava desenhando cada detalhe e gostava disso. Acontece que com o desenho eu nunca tive nenhuma trava, era algo que eu fazia desde cedo, e como a maioria das pessoas desenha mal eu praticamente só recebia elogios.

Mais pra frente demorei a perceber como eu usava esse “perfeccionismo” como racionalização pras minhas inseguranças. Os textos são um bom exemplo. Todos os textos que coloco aqui eu acho que poderia fazer melhor. Com mais tempo, mais dedicação, acharia uma forma melhor de dizer isso ou aquilo, pensaria num formato mais interessante e etc. E a verdade é que pode ser mesmo, mas eu estava usando isso como desculpa pra não fazer nada, ou não mostrar nada a ninguém. Os textos nunca ficavam prontos, era sempre o rascunho do rascunho. Quando ia mostrar pra alguém, tentava diminuir a expectativa deles, dizendo que estava uma porcaria e que ainda queria mudar muita coisa. Isso era basicamente medo, vergonha, insegurança.

Ai decidi começar alguns desafios pra me tirar dessa zona de conforto. E me forcei a aceitar quem sou e como escrevo, ou faço qualquer coisa. Há uma ideia de que eu sou melhor que isso, só não estou conseguindo mostrar. Bom, se é assim, isso vale pra todo mundo, e tudo que você observa dos outros não representa exatamente quão bom eles são, mas é isso que temos naquele momento, é isso que vemos.

A grande maioria dos textos aqui, e todos dos desafios, são escritos de primeira, sem rascunho. Escrevo, releio pra checar erros de digitação e posto. Por isso em todos eu sinto que fiz um mal trabalho, ou mais especificamente um trabalho incompleto. Falando de pessoas que admiro vejo o quanto deixei de fora, devia ter falado mais disso ou que absurdo que esqueci aquilo outro. Por um lado sinto que não fiz jus aos trabalhos dessas pessoas incríveis, mas por outro tenho gostado da ideia de posts mais curtos. São mais fáceis de fazer e tenho percebido uma certa beleza na simplicidade.

A boa dieta que você segue é melhor do que a perfeita de que você desiste. No momento, isso tem funcionado pra mim e pretendo continuar. Fica o aviso de que provavelmente essas pessoas das quais falo são mais interessantes do que consigo mostrar, e peço que não se atenham às minha incompletas observações.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s