Devaneios – e o que dizem

Já se pegou pensando em algo? Sabe o que isso quer dizer?

Anúncios

1.jpeg

Um dia eu me peguei pensando em meu próprio funeral. Desses devaneios que temos com alguma frequência, eu pelo menos tenho, e sempre achei que fossem completamente aleatórios, as vezes imaginando uma discussão hipotética com o presidente, as vezes decidindo se seria mais legal ter teletransporte ou poder voar (poder voar!). Nesse dia reparei que há um padrão, um correlação entre o conteúdo do devaneio e como estou me sentindo, especificamente quando não estou atento a como estou me sentindo. No caso do funeral percebi que estava carente, me sentindo um pouco solitário, e acho que a função do filme mental era reafirmar que meus amigos se importam comigo. Então nele imaginava várias pessoas, tristes com a minha partida, como se sentiriam e o que diriam, etc. Não é uma sequência de imagens tão estável quanto um filme ou uma memória de um evento, é mais sutil, por isso muitas vezes eu nem percebia que estava pensando nisso, mas esse dia percebi e achei muito curioso.

Em pouco tempo fiquei atento a esse padrão e vi que ele acontecia com algumas emoções. Quando estava com raiva, por exemplo, me visualizava em situações de briga. Podia ser que eu estivesse andando e visse um carro parado errado na calçada, ai me imaginava passando de bicicleta perto demais, o cara saia e vinha pra cima de mim, e curiosamente eu sempre lutava melhor que o Anderson Silva, mas sem exageros. Ou lembrava de qualquer situação, ou criava uma totalmente do nada, idealmente onde eu não tivesse culpa, mas fosse “forçado” a reagir, tipo um assalto e eu ia e lutava com o cara. E bem inconsciente. Diferente de se eu for escrever uma cena de uma peça ou um filme, onde eu vou parar e imaginar cenários e falas ativamente. Nesse caso é como se eu estivesse de espectador da minha própria mente.

Enfim, o interessante foi que desde que notei exatamente como isso acontece, assim que o devaneio começa eu paro e observo como estou me sentindo. Em geral já conheço o tipo de sentimento pelo pensamento, então isso é bem imediato, ai passo a investigar porque estou me sentindo dessa forma exatamente agora. Se for raiva, o que houve? Na maioria das vezes não é um sentimento muito intenso, se fosse eu teria notado sem o devaneio, então levo um tempinho as vezes pra descobrir a causa. Em muitos casos eu realmente me surpreendo. Ai decido se quero fazer algo a respeito ou não. Nos casos que falei, quando me percebi sentindo com raiva um dia vi que não era exatamente raiva, mas só um excesso de energia acumulada, então fui correr na praia. Uma vez eu apenas tinha presenciado uma discussão forte na rua e aquilo tinha me marcado de alguma forma e eu fiquei com essa impressão, essa “energia”, até perceber. No caso de me sentir sozinho, marquei de sair com uns amigos. Outras vezes não fiz nada, só ter percebido já foi suficiente. Em outras fui ver um filme, ler um livro, escrever, trabalhar..

É engraçado como isso ainda acontece, mas com menos frequência e quase sempre eu percebo, e uso como um indicador pra parar e me dar alguma atenção, entender que tem algo rolando em mim e escolher a melhor forma de lidar com isso. As vezes estou triste e quero curtir a tristeza mesmo, só isso. Mas nunca ignorar o sentimento. Quero cada vez mais melhorar minha comunicação com o meu subconsciente.

E você? Já aconteceu algo assim? Como seu subconsciente fala com você?

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s